Trabalhos voluntários produzem e doam viseiras à Saúde Municipal de Araçatuba

Um trabalho voluntariado de fabricação de viseiras, idealizado pela Cirurgiã Dentista Angélica Cristiane Fardin e com participação de toda a equipe do Centro de Especialidades Odontológicas de Araçatuba, iniciado em 11 de maio deste ano, já produziu, até o momento, 288 viseiras protetivas.

Com a colaboração de todos os profissionais do CEO e recursos financeiros levantados inicialmente pela própria idealizadora, que pediu ajuda a parentes e amigos e assim estendendo-se ao resto da equipe, o gesto do CEO quis mostrar o quanto é possível ajudar um pouco, numa crise tão difícil, mostrando sensibilidade e empatia ao próximo. Foram doadas todas as viseiras produzidas a serem entregues aos servidores da Atenção Básica municipal, Centro Especialidades Odontológicas e Pronto Atendimento Odontológico. “Essa iniciativa fez com que outras equipes se sentissem motivadas a contribuírem também, pois além das que já foram entregues, já recebemos doações para confeccionar mais um quantitativo de 180 viseiras”, explicou a cirurgiã dentista.

MÃO NA MASSA

O engenheiro e professor da área de Tecnologia da Informação do Senac de Araçatuba, João Miguel Marinho Fornazieri, também doou 110 face shields (escudos faciais, em inglês) às equipes do CEO e da APS - Atenção Primária à Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde de Araçatuba. Fornazieri também produziu as face shields com recursos próprios, incluindo o uso de sua própria impressora.

 A empresa Ultra Master Plug, sediada em Diadema-SP, fabricante de EPIs (equipamentos de proteção individual), também foi doadora de face shields à Secretaria Municipal de Saúde de Araçatuba, provendo o total de 150 unidades. Segundo a SMS, a doação foi intermediada por ex-servidora de organização social, que prestava serviço ao município, já se aposentou e é irmã da proprietária da empresa.

A secretaria municipal de Saúde, Carmem Guariente, agradeceu aos gestos dos diversos doadores. "Essas doações são indispensáveis para o enfrentamento do contexto de emergência, engrossando as fileiras de combate a essa mazela que recaiu sobre a humanidade, tornando possível a realização de estratégias de prevenção, controle e contenção de riscos, danos e agravos à Saúde Pública".

 

 

Fonte: Folha da Região