Plano São Paulo de reativação econômica avaliará regiões por critérios da Saúde Estadual

O prefeito de Araçatuba, Dilador Borges, participou de mais uma reunião, via videoconferência, na tarde desta terça-feira (12), com representantes do Governo do Estado de São Paulo e de setores públicos e privados da economia e da saúde, como parte do Plano São Paulo de reativação econômica no estado paulista.

Na reunião presidida pelo secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, as diretrizes governamentais foram discutidas junto aos prefeitos do Conselho Municipalista, de 16 cidades regionais, dentre as quais está Araçatuba. A reunião foi acompanhada também no auditório da Prefeitura de Araçatuba, por membros da administração municipal araçatubense e representantes de associações, como Siran e Sebrae.

A fase em andamento trata de estabelecerem-se protocolos-padrão e protocolos setoriais para retomada de forma segura, havendo condições identificadas favoráveis. Para analisar vulnerabilidades regionais, podendo-se identificar e dar prioridades, o processo será trabalhado junto as regionais de Saúde, somado a critérios de análises de mobilidade de população nas regiões,sob pontos de vista econômicos e sanitários.

A Taxa de Isolamento considera, entre outros fatores, a redução sustentada do número de novos casos por 14 dias mais a taxa de ocupação de leitos UTI COVID inferiora 60%, são pré requisitos para a diminuição das medidas de isolamento e início da retomada das atividades dos setores da economia.

A explanação dos especialistas, como a mestre em economia Ana Carla Abrao Costa e Eduardo Haddad, do Departamento de Economia da FEA-USP, já se baseia na identificação de alguns setores com mais dificuldades para serem retomada e áreas com maior vulnerabilidade econômica e sanitária, o lançamento de protocolos de funcionamento dos setores com retração no PIB e os novos passos a serem decididos para as estratégias territoriais, cujos critérios de tempo e de áreas de intervenção serão determinados pelo setor de Saúde estadual.

O prefeito Dilador Borges chamou de “fogo cruzado” a situação dos municípios da região de Araçatuba, considerando as novas determinações governamentais em escala estadual e federal. Ele citou o entendimento dos setores jurídicos das prefeituras vizinhas sobre o decreto presidencial, que considera novas áreas como essenciais, as questões de segurança em relação ao sistema carcerário regional frente às condições de infraestruturas locais de Saúde pública e as implicações delas na opinião pública, que geram grande pressão sobre as administrações municipais, somadas às indagações inflamadas pelas questões sócio-econômicas. “Estamos demorando demais para tomarmos tais decisões, pois as justificativas não estão bastando às famílias que padecem sem trabalho e renda”, finalizou o prefeito.

Ficou prevista, na videconferência, que a próxima reunião com o Conselho Municipalista será para receber os planos regionais de estratégias baseadas nas análises dos critérios preconizados pelo Governo Estadual.

Foi também anunciado que amanhã (13) será comunicada a decisão do Governo do Estado de São Paulo sobre decreto do Presidente da República, Jair Bolsonaro, sobre as novas áreas consideradas essenciais, cuja autonomia de decisão foi atribuída, pelo STF, aos estados e municípios.