Casos de Covid-19 crescem na região abaixo da média do Estado

A região administrativa de Araçatuba, composta por 43 municípios, registrou aumento de 207% nos casos positivos da covid-19, que é a doença provocada pelo novo coronavírus, no comparativo entre 15 e 30 de abril.

O levantamento foi divulgado pelo Governo do Estado na terça-feira (5), com base nas 16 regiões administrativas, incluindo a região metropolitana.

Nesse levantamento, a região de Araçatuba ficou em sétimo lugar, com índice de crescimento nos casos abaixo da média dessas regiões, que foi de 240%.

A região com menor crescimento de casos confirmados no Estado no período foi a de Ribeirão Preto. Com população estimada de 1,393 milhão de habitantes, registrou 87% de aumento nos casos confirmados da doença no período.

A região de Araçatuba tem aproximadamente 781 mil habitantes, de acordo com o governo do Estado e passou de 41 casos em 15 de abril, para 126 no dia 30.

A região de Franca, que tem aproximadamente a mesma população, registrou ficou em sexto lugar no ranking, com aumento de 175% de aumento. Porém, em número de casos, registra bem menos, passando de 12 para 33 no período.

Isolamento

Ao divulgar os índices, o governo do Estado comparou o aumento no número dos casos com o índice de isolamento social no mesmo período. Esse será um dos critérios utilizados pelo governo para determinar quais regiões estarão autorizadas a retomar a atividade econômica gradualmente a partir de 11 de maio.

No caso de Araçatuba, enquanto houve aumento de 207% nos casos positivos de covid-19 na segunda quinzena de abril, a taxa média de isolamento social caiu de 51% de 31 de março a 14 de abril, para 45% na comparação com o período de 15 a 30 de abril.

Nesse mesmo período, a taxa de isolamento em Franca caiu de 49% para 45%. Ribeirão Preto, que está no topo do ranking, registrou queda de 54% para 46%.

Avanço

De acordo com o governo do Estado, apesar de o número absoluto de infectados ainda se concentrar na Região Metropolitana de São Paulo, o contágio cresce proporcionalmente a um ritmo quatro vezes mais rápido no interior e no litoral.

Enquanto no período de 3 de abril a 1.º de maio o número de casos registrados cresceu 2.532% no interior (de 167 casos para 4.397), na Região Metropolitana, o crescimento foi de 625% (de 3.352 para 24.301).

Na segunda quinzena de abril, as regiões do interior e litoral paulista que apresentaram maior aumento no número de casos foram Itapeva (1.125% - de 4 para 49 casos), Registro (546% - de 13 para 84 casos) e Barretos (475% - de 12 para 69 casos).

Tudo dominado

Para o governo estadual, os números mostram que o vírus, que estava restrito à Região Metropolitana até o meio de março, avançou pelo interior e litoral em menos de 45 dias, chegando a todas as regiões.

Os números mais recentes apontam que há casos da doença em 332 municípios (51,5% dos 645 do Estado) e há mortes registradas em 150 cidades.

Destes 332 municípios com casos, 293 estão no interior/litoral (88%). Já das 150 cidades com óbito, 114 são do interior/litoral (76%).

Diante deste cenário, o secretário de Desenvolvimento Regional do Estado, Marco Vinholi, entende que é fundamental que a taxa de isolamento siga crescente para manter o sucesso na estratégia de combate à doença, principalmente neste momento de franca aceleração da curva de contágio.

"O isolamento social é apontado por médicos e especialistas como o recurso mais eficaz para enfrentar o novo coronavírus”, alerta.

 

 

Fonte: Hojemais