Em videoconferência, Dilador pede respiradores para a região de Araçatuba

 O Prefeito de Araçatuba, Dilador Borges, pediu, nesta sexta-feira (17) que Estado agilize a compra e instalação de respiradores para as UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo) da região. A solicitação foi feita durante uma videoconferência com o secretário de Estado José Henrique Germann Ferreira e com o coordenador do Centro de Contingência do coronavírus em São Paulo, o médico infectologista David Uip.

Ao lado da secretária municipal de Saúde, Carmem Silvia Guariente, Dilador questionou o Estado em relação aos respiradores necessários para atendimento das vítimas da Covid-19.

De acordo com Dilador, a quantidade é insuficiente para atender a todos os potenciais infectados no pico da doença, previsto para o mês de maio.

Falando em nome de 40 prefeitos da região, Dilador cobrou uma solução para o problema, “pois as prefeituras não têm verba para comprar os equipamentos, nem acesso aos fornecedores.”

Em resposta, o infectologista David Uip afirmou que este tem sido o gargalo desde o início das ações de combate ao vírus e atendimento à população.

“O governador João Doria tem feito um trabalho junto às empresas, como montadoras de veículos, para a construção de respiradores. Também há estudos de compartilhamento dos respiradores já instalados por dois pacientes ao mesmo tempo”, afirmou Uip.

FABRICAÇÃO

De acordo com a Agência Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) disponibilizou para consultas um guia com orientações para o desenvolvimento e a regularização de ventiladores pulmonares.

O documento apresenta um passo a passo básico e simplificado com as etapas de produção do equipamento hospitalar, juntamente com as referências técnicas aplicáveis.

O guia é mais uma medida de uma série de ações extraordinárias e excepcionais, que a Anvisa vem adotando para ampliar a capacidade produtiva de equipamentos essenciais ao enfrentamento da covid-19.

De acordo com a Agência, a publicação desse documento é mais uma medida, que se soma, por exemplo, à Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 356/2020, que tornou mais ágeis os processos de regularização sanitária de equipamentos médicos.

 

Fonte: Folha da Região